domingo, 25 de janeiro de 2015

Descobri que gosto de clementinas




    Pode ler-se que sou uma totó. Tenho duas laranjeiras no quintal, uma tangerineira, uma clementineira e outra que dá tângeras (a minha mãe chama-lhes assim mas não sei bem o que são, nunca percebi). Pois eu achava que gostava mais de tangerinas e estava enganada. Também descobri, numa ida ao quintal, que as clementinas até são boas e não têm assim tantos caroços. Parecia uma miúda de cinco anos - de cesto de vime no braço, a correr para as árvores e a apanhar fruta. 
    Uma laranja daqui - Apanha a outra que essa ainda está verde, diz a mãe - outra laranja da outra árvore, passo pela figueira, pelo pessegueiro e pela pereira e apanho mais uma data de tangerinas acolá - Olha essas no chão, estão boas! Continua a minha mãe - umas clementinas mais a frente e fica o cesto cheio. 
    O sol decidiu aparecer e sentei-me no chão de cimento com a minha mãe - ela sentada no degrau, para ficar mais alta. Lambusamo-nos de tangerinas, laranjas, clementinas e tângeras enquanto ela me tentava explicar que eram todas diferentes e umas melhores que outras, no entanto devíamos estar felizes por terem caroços porque nada é perfeito, nem mesmo as laranjas. Consigo ouvir a máquina de fazer sumo da vizinha a trabalhar - ela também tem muitas laranjas. 

Deu-se uma incrível viagem ao passado. Mais para a minha mãe que para mim, aposto. 


Ana Marisa 

2 comentários:

Cláudia S. Reis disse...

Como gosto de clementinas e tangerinas. São as minhas pequenas, grandes, amigas.

A. Margarida disse...

Adoro citrinos mas os caroços dão me cabo dos nervos!!!!!