domingo, 10 de agosto de 2014

Das laranjices


Eu e os meus gatos somos inseparáveis. Eu preciso mais deles que eles de mim. São animais tão adoráveis, tão calmos, tão misteriosos, tão observadores. Há quem não os suporte por isso mesmo, por serem inconstantes ou imprevisíveis. Tenho quatro. Pai, mãe e dois bebés de um ano. Bebés...serão sempre bebés. Os meus bebés. Todos. Sei dar-lhes amor e carinho e enchê-los de mimo. Recebo sempre algo em troca: lambidelas, a roupa cheia de pêlo, o ronrom deles. Tão bom. E "perco" imenso tempo sentada nas escadas a observá-los ou simplesmente à espera que venham encostar o nariz a mim em jeito de "deixa-me sentar aí ao teu colo". Não sei se é bom ou se é mau, ou se faz alguma diferença, mas um deles é louco por lamber a minha colher do café, depois de eu o mexer. E já é rotina. Hoje deliciei-me com a Bunny, a mãe. É a mais "não me toquem", "deixem-me em paz" mas também é a que tem momentos de carência mais frequentes e mais fofos. Tirei-lhe umas fotos engraçadas e vou partilhar aqui. Porque gosto mais do blogue com cores das fotografias.  






Ana Marisa 

3 comentários:

catarina sofia' disse...

Meu deus, sou assim como tu! E uma das minhas gatas tem o focinho como esta da foto ehehe
A tua é linda :')

catarina sofia' disse...

É mesmo :)
De nada, ora essa! A Bunny merece <3

catarina sofia' disse...

Só estou a ser sincera :)